Resíduos de plástico e poluição agora estão ameaçando a saúde e o bem-estar dos seres humanos e dos ecossistemas em todo o mundo. Todos os anos, de inimagináveis ​​300 milhões de toneladas de plástico produzidas, metade é transformada em itens descartáveis: copos para viagem, embalagens de comida, sacolas de supermercado e muito mais. E, a cada ano, mais oito milhões de toneladas desse plástico acabam à deriva ou afundando no oceano, se somando ao que já está lá e levando décadas para se decompor. E o número não está diminuindo – se não agirmos, em 2025 podemos esperar que esse número aumente para 17 milhões de toneladas por ano.

Por meio da Global Plastic Innovation Network (GPIN), estamos construindo uma comunidade de inovadores de alto impacto que podem ajudar a combater a poluição em nível nacional e global. Lidar com a poluição do plástico exige criatividade – desde o redesenho de embalagens e modelos de entrega até a implementação de novas tecnologias de reciclagem que ajudam a lidar com a produção e gestão de resíduos.

Para descobrir inovadores em todo o mundo, a Global Plastic Action Partnership colaborou com a UpLink para lançar o GPIN, com o objetivo de construir uma comunidade de inovadores trabalhando para erradicar a poluição do plástico. Esta semana, oito inovadores estão se juntando à rede que está abrindo caminho para combater a poluição por plástico. Eles receberão apoio por meio da visibilidade nas mídias sociais e do aproveitamento da rede da Global Plastic Action Partnership para dimensionar o impacto.

Saiba mais sobre os oito inovadores que estão causando impacto no terreno:

1. A Siklus está reinventando o futuro do varejo na Indonésia, entregando recargas de necessidades diárias às portas das pessoas – sem resíduos de plástico. Eles oferecem uma alternativa ao substituir o plástico de baixo valor por postos de recarga, permitindo aos consumidores comprar produtos domésticos em qualquer quantidade, sem embalagens de plástico.

2. O gCycle está lidando com a sustentabilidade na indústria de fraldas, que contribui para a poluição de aterros e cursos d’ água. A solução traz a economia circular para as fraldas e regenera sistemas naturais. A mais recente invenção é a primeira fralda totalmente compostável e descartável patenteada do mundo.

3. A Plastic Fischer desenvolveu um sistema de coleta de plástico de baixa tecnologia para rios e já implantou vários sistemas no rio Citarum em Bali. Graças ao seu sistema de baixa tecnologia, sua solução foi projetada para ser facilmente dimensionada em todo o mundo.

4. A Diwama fornece uma solução de hardware e software para instalações de triagem de lixo. A tecnologia usa software de reconhecimento de imagem baseado em IA que automatiza a análise de resíduos, que pode ser usada para otimizar o gerenciamento de resíduos.

5. A RiverRecycle oferece métodos disruptivos para alterar os sistemas de gerenciamento de resíduos. A solução busca conter a maré de poluição por plástico nos rios, coletando e reciclando resíduos de plástico e detritos flutuantes, ao mesmo tempo em que fornece um meio de vida para as comunidades locais.

6. A Waste Bazaar é uma empresa de tecnologia limpa que fornece serviços de coleta e reciclagem de resíduos na Nigéria. Eles desenvolveram um aplicativo para celular que usa funcionalidades de geolocalização para conectar os usuários à estação de reciclagem mais próxima, onde resíduos recicláveis ​​podem ser trocados por “créditos verdes”.

7. A Wasser 3.0 desenvolveu uma solução rápida, eficiente e econômica para remover microplásticos e micropoluentes de diferentes tipos de água. A solução utiliza fixação por aglomeração para microplásticos e quelação para compostos inorgânicos.

8. A Tontonton está construindo um sistema no qual as comunidades desempenham um papel fundamental na limpeza de seu próprio ambiente enquanto ganham a vida por meio de uma plataforma baseada em aplicativos. Eles trabalham em estreita colaboração e capacitam os catadores locais para lidar com a gestão de resíduos na Indonésia e no Camboja.

World Economic Forum

RECOMENDAMOS






Ter saber é ter saúde.