Dois terços das mulheres tomam paracetamol pelas dores da gravidez , mas o medicamento pode não ser tão benigno quanto se pensava.

Novas pesquisas mostram que mulheres que tomaram acetaminofeno, mais conhecido como Tylenol, no final de sua gravidez, tinham muito mais chances de ter filhos com transtorno de déficit de atenção / hiperatividade ( TDAH ) ou autismo .

Depois de testar o sangue da mãe e do cordão umbilical logo após o nascimento, as chances desses distúrbios do desenvolvimento eram mais do que o dobro em crianças expostas ao acetaminofeno próximo ao momento do nascimento. A associação foi mais forte entre a exposição ao acetaminofeno e o TDAH na criança.

Dois estudos anteriores sugeriram uma conexão entre o acetaminofeno na gravidez e o TDAH e o autismo em crianças. Mas esses estudos foram baseados apenas na memória das mães de tomar paracetamol.

Esses estudos, quando combinados com o mais recente, mostram “que o uso pré-natal de acetaminofeno está constantemente associado a um risco aumentado de deficiências no desenvolvimento, incluindo TDAH e possivelmente [autismo]”, disse o autor sênior do estudo, Dr. Xiaobin Wang. Ela é diretora do Centro de Origens de Doenças da Primeira Vida, na Escola de Saúde Pública da Universidade Johns Hopkins, em Baltimore.

É importante notar que, embora o estudo tenha encontrado uma associação entre o uso de acetaminofeno por uma mãe em potencial e o desenvolvimento de TDAH e possivelmente autismo em seu filho, ele não pode ser um elo definitivo de causa e efeito.

Wang disse que são necessárias mais pesquisas. Ela disse que não tinha conhecimento de nenhum medicamento alternativo seguro para alívio da dor ou febre na gravidez.

Foi demonstrado que o acetaminofeno atravessa a placenta durante a gravidez. Isso significa que, se uma mãe grávida toma paracetamol, parte da droga entra no sistema do bebê.

Em ratos, o paracetamol durante a gravidez pareceu afetar as células cerebrais e certos níveis hormonais, o que poderia atrapalhar o desenvolvimento do cérebro, de acordo com informações do estudo.

Havia quase 1.000 crianças neste novo estudo. A idade média deles era 10 anos e pouco mais da metade eram meninos.

Quase 26% das crianças tinham apenas TDAH. Cerca de 7% tinham autismo, enquanto 4% tinham TDAH e autismo. Pouco mais de 30% tiveram outra deficiência no desenvolvimento. Quase 33% não tinham preocupações com o desenvolvimento.

O Dr. Andrew Adesman, chefe de pediatria do desenvolvimento e comportamental do Centro Médico Infantil Cohen, em New Hyde Park, Nova York, está familiarizado com os resultados.

“Embora o acetaminofeno seja um medicamento muito seguro e eficaz quando tomado conforme recomendado em geral, pode não ser tão seguro quanto se presume se for tomado durante a gravidez”, afirmou.

“Como não sabemos quando, durante a gravidez, os riscos de exposição ao acetaminofeno no neurodesenvolvimento são maiores, é difícil aconselhar as mulheres grávidas sobre quando elas podem tomar esse medicamento com segurança, sem aumentar a probabilidade de seu filho ter TDAH ou [autismo]”. adicionado.

Adesman disse que as mulheres grávidas devem conversar com seu médico antes de tomar paracetamol.

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Revista Saber é Saúde
Ter saber é ter saúde.