Nomeada “Marie” em homenagem à pioneira dos estudos sobre raios-x Marie Curie, ferramenta é capaz de fazer a leitura e a análise de várias imagens ao mesmo tempo, podendo ser utilizada na triagem de pacientes

Por Rose Talamone / Jornal da USP

Um grupo de pesquisadores da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCLRP) da USP e do Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto criou um aplicativo capaz de identificar a presença do coronavírus a partir de uma radiografia do pulmão.

20200708111005999766u - Aplicativo criado na USP faz o diagnóstico da covid-19 a partir de radiografia do pulmão
O Aplicativo Marie apresenta uma assertividade de 93% a 98% no diagnóstico de pacientes com a covid-19 – Foto: Cedida pelos pesquisadores

A ferramenta ‘Marie’, em homenagem à cientista polonesa Marie Curie, também pode ser utilizada para fazer triagem de pacientes com suspeita de Covid-19, pois permite a análise de várias imagens ao mesmo tempo.

Para criar o aplicativo, de início, os pesquisadores analisaram 3.500 imagens, sendo duas mil de pacientes com a Covid-19; outras quinhentas de pacientes com tuberculose e mil de pessoas sem nenhuma doença. Elas foram obtidas de repositórios de Brasil, China, Estados Unidos e Itália.

Em seguida, a partir de um algoritmo capaz de distinguir os três grupos de pacientes, uma análise estatística foi feita. Para nomear o aplicativo, a equipe decidiu homenagear Marie Curie, cientista polonesa que foi a primeira mulher a ganhar um Nobel.

Além da inicial diferença no aspecto das imagens, um outro fator que chamou a atenção dos pesquisadores foi a confirmação do aumento na densidade do pulmão, que fica com o aspecto de branco jateado, chamado na medicina de ‘vidro fosco’, característica muito forte dos pacientes com a Covid-19.

De acordo com pesquisadores, Marie apresenta uma assertividade de 93% a 98% no diagnóstico de pacientes com a covid-19.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Saber é Saúde
Ter saber é ter saúde.