A agência nacional de ciências da Austrália testará dois candidatos a vacina nos próximos três meses. Faz parte de uma corrida global para deter a pandemia de coronavírus.

Cientistas do governo australiano começaram os primeiros estágios de testes de uma potencial vacina contra o coronavírus SARS CoV-2, que causa a doença COVID-19.

A agência de ciência nacional da Austrália, CSIRO, disse na quinta-feira que os testes em uma instalação de biossegurança devem levar três meses.

O teste está sendo realizado em cooperação com a Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (CEPI), um grupo global que visa ajudar a desenvolver rapidamente vacinas contra doenças infecciosas emergentes.

O CSIRO testará inicialmente dois candidatos a vacina desenvolvidos pela Universidade de Oxford e pela empresa americana de biotecnologia Inovio Pharmaceuticals. Os candidatos foram identificados pelo CEPI em consulta com a Organização Mundial da Saúde.

Vacina pública ainda a 18 meses de distância

O executivo-chefe da CSIRO, Dr. Larry Marshall, disse em comunicado: “O início do teste de candidatos a vacinas na CSIRO é um marco crítico na luta contra o COVID-19, possibilitado pela colaboração na Austrália e em todo o mundo”.

“Continuaremos trabalhando até que esse inimigo viral seja derrotado”.

Os cientistas testarão a eficácia e o melhor método de administração, como injeções intramusculares e sprays nasais.

As vacinas serão testadas em furões que foram infectados com o vírus. A pesquisa da CSIRO confirmou que os furões são afetados pelo vírus.

O diretor de saúde da CSIRO, Rob Grenfell, disse à agência de notícias Reuters que qualquer potencial vacina bem-sucedida não estaria pronta até o final do próximo ano. Ele disse que os testes em humanos com uma das vacinas podem começar já neste mês.

A empresa de biotecnologia dos EUA Moderna Inc anunciou planos para iniciar testes em humanos em uma potencial vacina no mês passado. Israel já está testando um protótipo de vacina em roedores, informou a Reuters. E milhares de profissionais de saúde australianos estão testando a eficácia de uma vacina centenária para tuberculose.

Enquanto isso, cientistas chineses dizem que isolaram vários anticorpos que podem eventualmente ser úteis no desenvolvimento de um tratamento para o COVID-19 ou até mesmo na sua prevenção.

Com informações de DW NEWS

Crédito da imagem: picture-alliance/AP/T. Warren

COMENTÁRIOS




Revista Saber é Saúde
Ter saber é ter saúde.