A embaixada chinesa no Cazaquistão alertou para uma “pneumonia desconhecida” mortal depois que a antiga república soviética registrou um aumento nos casos de pneumonia desde junho.

“A taxa de mortalidade desta doença é muito maior do que o novo coronavírus. Os departamentos de saúde do país estão realizando pesquisas comparativas sobre o vírus da pneumonia, mas ainda não identificaram o vírus ”, disse a embaixada em um aviso aos cidadãos chineses no país.

Enquanto a embaixada chinesa descreveu a doença como uma “pneumonia desconhecida”, funcionários e mídia do Cazaquistão disseram que é apenas uma pneumonia.

Não ficou claro por que a embaixada chinesa descreveu a doença como “desconhecida” ou que informações possuía sobre a pneumonia.

O site da embaixada, citando relatos da mídia local, disse que as províncias de Atyrau e Aktobe e a cidade de Shymkent relataram picos significativos em casos de pneumonia desde meados de junho.

Shymkent e a capital de Atyrau estão a 1.500 km (930 milhas) de distância, enquanto a distância entre as capitais de Atyrau e Aktobe é de 330 km (205 milhas).

A embaixada chinesa disse que até agora houve quase 500 casos de pneumonia nos três locais, com mais de 30 pessoas em estado crítico.

O país como um todo viu 1.772 mortes por pneumonia na primeira parte do ano, 628 das quais ocorreram em junho, incluindo alguns cidadãos chineses, a embaixada continuou.

“A embaixada chinesa no Cazaquistão lembra aqui os cidadãos chineses de estarem cientes da situação e intensificar a prevenção para reduzir os riscos de infecção”, afirmou o comunicado da embaixada.

Saule Kisikova, chefe do departamento de saúde da capital Nur-Sultan, disse à agência de notícias Kazinform: “Cerca de 300 pessoas diagnosticadas com pneumonia estão sendo hospitalizadas todos os dias”.

A agência também disse que houve 1.700 casos de pneumonia em todo o país em junho – mais de duas vezes o número no mesmo mês do ano passado.

O Cazaquistão anunciou um estado de emergência em 16 de março para combater a propagação do Covid-19. O bloqueio foi suspenso em 11 de maio, mas restrições e medidas de quarentena foram reimpostas em algumas áreas após o aumento nos casos de pneumonia.

O presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, disse em um discurso televisionado na quarta-feira que a situação ainda era grave e que era muito cedo para relaxar as restrições.

Ele acrescentou que o país estava “de fato enfrentando a segunda onda de coronavírus juntamente com um grande aumento nos casos de pneumonia”, segundo a agência de notícias russa Tass.

A embaixada chinesa disse na terça-feira que o número de casos do Covid-19 no Cazaquistão atingiu 49.683, incluindo 264 mortes.

No final do mês passado, autoridades alertaram sobre o aumento de casos de pneumonia. Kisikova disse que os médicos estavam encontrando 600 pessoas por dia com sintomas de pneumonia, em comparação com 80 por dia antes do início do surto de Covid-19, informou o site CNA de Cingapura.

“Todos os dias, 350 a 400 pacientes são hospitalizados na cidade com Covid-19 ou pneumonia”, disse ela.

Fontes: Exame / SCMP / Global Times / Daily Mail 

Crédito da imagem: kian zhang

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Saber é Saúde
Ter saber é ter saúde.