Em 2020, pequenos pássaros iridescentes chamados martins roxos desceram sobre o Schermerhorn Symphony Center, atraindo grandes multidões e interesse científico.

No verão seguinte, mais pássaros – cerca de 100.000 – pararam em Nashville durante sua escala anual para a América do Sul.

“Foi uma coisa incrível de testemunhar… estar no meio disso e sentir a brisa gerada por tantos pássaros voando acima”, disse Laura Cook, pesquisadora de pássaros do Warner Park Nature Center e conservacionista de longa data. “Todo mundo que passou por lá queria saber o que estava acontecendo e por quê.”

Agora, a Nashville Symphony está optando por remover as árvores onde os martins roxos estavam empoleirados. Porque, embora hipnotizante para muitas pessoas , na última estadia de dois meses, os pássaros danificaran as árvores do centro e deixaram seu histórico calcário coberto de cocô.

A sinfonia posteriormente enfrentou uma limpeza de US $ 60.000, que foi parcialmente coberta pela Nature Conservancy e pela Tennessee Wildlife Federation.

“A limpeza foi muito cara porque tivemos que lavar todo o prédio do Schermerhorn Symphony Center”, disse Alan Valentine, CEO da Nashville Symphony. “A quantidade de excrementos foi bastante esmagadora.”

A sinfonia planeja cortar 41 árvores até o fim de abril, e eles vão esperar de um a dois anos antes de plantar novas, como cerejeiras e magnólias, para fazer os pássaros encontrarem um novo local. Eles ainda estão finalizando os planos, que estão sendo orientados por grupos conservacionistas locais e arboristas.

Em 2020, a sinfonia contratou uma empresa de controle de pragas para embaçar os pássaros e depois cancelou o trabalho depois de saber que os animais arroxeados eram uma espécie protegida pelo governo federal.

Valentine disse que a situação tem sido difícil, já que a sinfonia nunca teve a intenção de remover seu paisagismo dessa maneira – nem se inscreveu para hospedar pássaros todos os anos.

Os conservacionistas locais expressaram simpatia pela situação da sinfonia e decepção.

“Esse é mais um exemplo de Nashville sendo roubado de algo que o torna único”, disse Jim Gregory, do Nashville Tree Conservation Corps.

Ele disse que também reflete a questão maior da perda de dossel de árvores local, considerando que os pássaros chegaram à sinfonia depois que seu último trecho de árvores foi derrubado.

A outra grande decepção é que Nashville perderá uma rara oportunidade de educação sobre pássaros e sua migração, de acordo com Cook.

“Sempre fico feliz quando as pessoas encontram uma forma criativa de conviver com a natureza. Estou triste que isso não aconteceu aqui”, disse Cook.

Cook colocou transmissores em alguns martins roxos no ano passado e espera rastrear mais pássaros este ano – mas não há como dizer onde os pássaros podem acabar ou se permanecerão em números tão grandes.

Os martins roxos são pássaros canoros migratórios e um tipo de insetívoro aéreo, ou um pássaro que come insetos enquanto voa. Este grupo de aves diminuiu 32% nos últimos 50 anos.

GreenMe

RECOMENDAMOS






Ter saber é ter saúde.