Cada tipo de câncer parece se enquadrar em uma das duas categorias recém-descobertas, de acordo com uma nova pesquisa, com base na produção ou não de uma única proteína.

Os pesquisadores, liderados por cientistas de várias instituições do Sistema de Saúde Sinai, publicaram um estudo na revista Cancer Cell na semana passada que liga todas as formas de câncer a uma proteína transcricional regular chamada Yes-associated protein (YAP).

Eles encontraram diferenças distintas entre as células cancerosas que expressam YAP, que eles chamaram de cânceres “YAPon”, em comparação com os “cânceres YAPoff”, que não expressam.

O objetivo principal do novo estudo era completar esta pesquisa focada no YAP de diferentes tipos de câncer, mas o trabalho também tem implicações importantes para o desenvolvimento de tratamentos de câncer e talvez até curas .

Enquanto os cânceres YAPoff tendem a ser particularmente mortais, os cânceres YAPon e YAPoff têm vulnerabilidades consistentes dentro de seus grupos, descobriram os cientistas. Por exemplo, até mesmo expor um tumor YAPoff ao YAP parece impedi-lo de crescer.

Infelizmente, os tumores individuais são capazes de alternar entre os dois estados como um mecanismo de sobrevivência em face dos tratamentos, tornando sua erradicação um pouco mais complicada.

Como a maioria das descobertas de câncer é extremamente específica, é fascinante ver novos trabalhos que traçam grandes padrões em todos os cânceres conhecidos – e isso pode levar a melhores tratamentos no futuro.

“A regra binária simples que descobrimos pode expor estratégias para tratar muitos tipos de câncer que se enquadram nas superclasses YAPoff ou YAPon”, disse o co-autor do estudo e cientista do Lunenfeld-Tanenbaum Research Institute Joel Pearson em um comunicado à imprensa . “Além disso, uma vez que os cânceres mudam de estado para evitar a terapia, ter maneiras de tratar o estado YAPoff e YAPon pode se tornar uma abordagem geral para impedir que esse câncer mude de tipo para resistir aos tratamentos com drogas.

Fonte: Futurism

RECOMENDAMOS






Ter saber é ter saúde.