Quando a sombra do COVID-19 surgiu sobre a França, a equipe de um lar de idosos, perto de Lyon, decidiu que não permitiria que seus residentes se tornassem estatísticas – e fez o que ninguém mais estava fazendo.

Valerie Martin administra a casa em Corbas, onde cuida de 106 pessoas. Quando soube o que o coronavírus estava fazendo com os idosos de toda a Europa, resolveu que eram necessárias medidas drásticas para proteger seus residentes.

“Eu disse não. Comigo não. Meus moradores ainda têm muito o que viver ”, disse Martin à AP.

Ela decidiu fechar completamente o prédio e convidou funcionários e enfermeiras para se juntarem a ela no confinamento pelo que ela pensava que seria uma quarentena de três semanas. Felizmente, Valerie não estava sozinha em sua empreitada heróica, pois 29 de seus funcionários se ofereceram para ficar, trazendo travesseiros e sacos de dormir para passar noites com colchões no chão.

456 - Como um lar de idosos na França impediu o coronavírus de infectar idosos com uma festa do pijama de 47 noites
Os moradores mostram cartazes com a mensagem “Obrigado por tudo”. AP

Tornou-se uma maratona de 47 dias e noites, mas 12 funcionários permaneceram o tempo todo. Sua determinação valeu a pena e, na segunda-feira, 4 de maio, em meio a abraços de comemoração e canto, os testes de coronavírus foram negativos para todos os 106 residentes.

59 - Como um lar de idosos na França impediu o coronavírus de infectar idosos com uma festa do pijama de 47 noites
Enquanto o coronavírus seguia um caminho mortal pelas casas de repouso, a equipe se trancou com os 106 residentes dessa casa de repouso para impedir que o COVID-19 infectasse e matasse os idosos vulneráveis.CRÉDITO:AP

“Conseguimos”, disse Martin. “Todo dia, toda hora, era uma vitória.”

Os cuidadores, que se autodenominavam “felizes confinados”, saíram em um desfile de carros tocando buzinas no caminho de volta a reencontro com seus animais de estimação, parceiros e filhos.

Um acampamento de férias
“Foi difícil”, disse a cuidadora Vanessa Robert à AP. Mas também houve momentos de “alegria total, reunidos à noite, brincando, jogando bombas de água um no outro”.

Eles até planejaram um casamento de mentira, como mostrado na foto abaixo.

Martin 1 - Como um lar de idosos na França impediu o coronavírus de infectar idosos com uma festa do pijama de 47 noites
O morador Chatal sorri durante um casamento falso com uma enfermeira no asilo em Lyon.CRÉDITO:AP

Como a equipe e os residentes de Vilanova estavam todos trancados juntos – separados de outra parte da instalação onde membros externos da equipe traziam comida e suprimentos – não havia necessidade de confinar os idosos aos seus quartos solitários.

Após o início do bloqueio da França em 17 de março, Martin viu que muitos moradores estavam entrando em depressão durante seus primeiros dias isolados, enquanto os funcionários faziam uma limpeza profunda na casa.

“Em dois dias, já vimos pessoas que começaram a não querer mais comer, pessoas que não queriam se levantar, pessoas que disseram: ‘Por que você está me lavando? É inútil ”, disse ela à AP.

No entanto, uma vez que fomos envolvendo todos nas brincadeiras, jogos e refeições em comum, conseguimos que ficassem de bom humor durante os 47 dias.

Quando a média nacional de novos casos caiu drasticamente e as portas de Vilanova foram destrancadas, Valerie Martin, que finalmente voltou para o seu gato provavelmente perturbado, foi aclamada como uma heroína nos jornais de todo o mundo por seus esforços. Mas não foi um sacrifício enorme no final.

“Foi um pouco como entrar em um acampamento de férias”, disse ela. “Viver em um bloqueio com 130 pessoas é extremamente gratificante.”

The Age

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Saber é Saúde
Ter saber é ter saúde.