Com informações de The Mind Unleashed

A maioria dos animais com danos permanentes por congelamento, geralmente terá que passar o resto de suas vidas miseráveis e incapacitados. Às vezes, eles são sacrificados para salvá-los da dor, o que infelizmente é uma ocorrência comum.

No entanto, para esse carinha ruivo e sortudo, ainda não era o momento dele. O pobre Ryzhik (que é ruivo ou gengibre em russo) sofreu ferimentos terríveis devido a temperaturas petrificantes na cidade de Tomsk, na Sibéria. Em janeiro deste ano, quando as temperaturas caíram para um mínimo de -40 graus Celsius, Ryzhik desabrigado foi deixado sozinho no frio.

O pobre animal foi acudido por um homem de bom coração que se comoveu com sua situação. Infelizmente, sua condição já estava muito avançada. Gangrena, a morte total do tecido devido ao corte no suprimento sanguíneo, havia sido estabelecida e Ryzhik sentia muita dor. Seus quatro membros tiveram que ser amputados e parecia que seu destino já havia sido decidido.

Pelo amor de Ryzhik

O proprietário amoroso de Ryzhik se recusou a desistir dele após a amputação de partir o coração. O gatinho foi levado para uma clínica protética em Novosibirsk, onde quatro membros biônicos de titânio foram colocados em seus tocos. Um problema em encaixar membros protéticos em animais é que eles geralmente tentam arrancá-los. Acostumar-se a membros artificiais é um processo difícil, mas os cirurgiões de Ryzhik tinham isso em mente ao projetar membros especiais para o felino.

Usando tomografia computadorizada e modelagem 3D, eles fabricaram os membros mais confortáveis que se adequariam ao gato da maneira certa. Segundo Sergey Gorshko, cirurgião responsável pelo caso de Ryzhik, os membros de titânio foram presos aos ossos do gato. A parte esponjosa dos membros foi presa à pele para permitir o crescimento do tecido.

“Ele é definitivamente o primeiro gato do mundo que passou por tais cirurgias”, disse Gorshkov ao Siberian Times. “Os membros estão totalmente conectados com a pele e os ossos. A parte do membro que entra no corpo é esponjosa, o tecido ósseo cresce dentro dele. Conseguimos um bom resultado. Asseguramos a função do membro, embora parte dele tenha sido removida. ”

Ryzhik é agora o primeiro gato do mundo a andar sobre quatro membros biônicos.

Acostumando-se com seus novos membros

Ainda que Ryzhik não esteja andando ou correndo com tanta confiança como antes, pelo menos não está tentando remover os membros. Isso é um sinal de que ele ama sua nova mobilidade e se acostumará com os membros ao longo do tempo. Um vídeo enviado ao YouTube mostra o corajoso Ryzhik descendo uma escada com as patas esponjosas.

A clínica de Gorshkov está trabalhando em novas soluções para dar aos animais deficientes a chance de ter uma vida normal. Eles são pioneiros em novas técnicas para conectar bicos protéticos a papagaios e até cascos no gado.

 

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Revista Saber é Saúde
Ter saber é ter saúde.