Uma equipe de pesquisadores no Japão criou uma vacina que foi capaz de matar um tipo de vírus da imunodeficiência humana (HIV) em macacos durante um teste inicial, relata o jornal japonês The Asahi Shimbun .

Embora se infectar com o HIV não seja exatamente uma boa notícia, com o tratamento certo, as perspectivas são muito melhores do que quando o vírus chegou aos Estados Unidos no início dos anos 1980.

Mas o tratamento até agora não foi capaz de realmente matar o vírus – apenas silenciar bastante os muitos efeitos negativos que ele pode ter na saúde humana. Isso pode estar começando a mudar, no entanto. A equipe japonesa do Centro de Pesquisa de Primatas de Tsukuba disse que os testes em humanos poderiam começar em apenas cinco anos, de acordo com Asahi .

A equipe desenvolveu uma vacina usando uma bactéria especial que fortalece a resposta imunológica. Eles então combinaram isso com um vírus causador da AIDS enfraquecido.

Os sete sujeitos do teste de macacos comedores de caranguejo foram infectados com HIV-símio, mas os testes não foram capazes de detectar o vírus, de acordo com Asahi . Mesmo depois de ser injetado com um vírus mais forte que poderia ser fatal de outra forma, o vírus desapareceu sem deixar vestígios em seis das sete cobaias.

Os pesquisadores agora esperam poder usar o HIV retirado de pacientes em tratamento com drogas para criar uma vacina destinada a humanos.

Não é o único esforço proeminente para desenvolver uma vacina contra o HIV. A farmacêutica americana Moderna recentemente deu início a testes em humanos para sua vacina contra o HIV baseada em mRNA, a mesma tecnologia usada em sua vacina COVID-19 amplamente administrada.

O HIV tem sido consistentemente uma das doenças infecciosas mais mortais nos últimos 40 anos. Mas, com os novos avanços da medicina, há mais esperança do que nunca em derrotar o vírus de uma vez por todas.

RECOMENDAMOS






Ter saber é ter saúde.