Um estudo publicado no Journal of the American Heart Association esta semana descobriu que o sistema de carregamento magnético do iPhone 12 pode interferir em dispositivos eletrônicos cardíacos implantáveis.

Por que é importante: os autores do estudo disseram que a tecnologia de carregamento Magsafe do telefone pode produzir um campo magnético forte o suficiente para “inibir a terapia que salva vidas” se colocada diretamente na pele sobre um dos dispositivos implantáveis.

Como funciona: a equipe de pesquisadores estudou os efeitos do carregador em 11 tipos diferentes de CIEDs e descobriu que ele era capaz de acionar o “modo de reversão do ímã” nos dispositivos.

• Em marcapassos, isso significa que o dispositivo está estimulando a uma frequência assíncrona, enquanto o modo em cardioversores desfibriladores implantáveis pode suspender as terapias de antitaquicardia , que são necessárias para interromper um episódio de taquiarritmia.

O panorama geral: outro estudo publicado no Heart Rhythm Journal em janeiro também concluiu que o sistema de carregamento pode afetar os CIEDs.

A Apple recomendou que os usuários com CIEDs mantenham seus dispositivos longe de seus iPhone 12s e acessórios de carregamento por “mais de 6 polegadas / 15 cm de distância ou mais de 12 polegadas / 30 cm de distância em caso de carregamento sem fio”.

No entanto, a Apple também observou que, embora “todos os modelos do iPhone 12 contenham mais ímãs do que os modelos anteriores do iPhone”, eles não representam um risco maior de interferência magnética do que qualquer outro iPhone

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Saber é Saúde
Ter saber é ter saúde.