Vivemos em uma sociedade que avança a passos largos e na qual a competitividade e o perfeccionismo se tornaram qualidades essenciais no caminho para o sucesso. Por isso, não é de se estranhar que muitos pais queiram preparar seus filhos desde cedo para que adquiram os conhecimentos e habilidades necessários para exercer uma boa profissão no futuro. Assim, eles não apenas os inscrevem em aulas extracurriculares diferentes para complementar sua educação, mas também os incentivam a obter melhores resultados e se comportar melhor. E, na verdade, isso não é ruim, o problema surge quando uma pressão desnecessária começa a ser colocada sobre as crianças e não há espaço para erros, descanso e diversão.

As consequências de exigir demais de seus filhos

Crescer sob a pressão de exigências e expectativas excessivamente altas pode fazer com que as crianças tenham um comportamento exemplar, alcancem bons resultados acadêmicos e demonstrem maior maturidade. No entanto, esse excesso de pressão também significa que elas crescem muito rápido, sem tempo para experimentar em seu ambiente, descobrir o que realmente gostam ou desenvolver sua identidade. A longo prazo, exigir tanto das crianças pode ser contraproducente, pois:

1. Limita sua independência e autonomia

Quando os filhos são submetidos à pressão e às expectativas dos pais, eles se acostumam a fazer o que os outros mandam e perdem a capacidade de decidir por si mesmos. O problema é que, ao não permitir-lhes a liberdade de tomar decisões, não apenas sua autonomia é restringida, mas sua espontaneidade é roubada, tornando-os dependentes de outros que buscam aprovação externa a cada passo que dão para se sentirem confiantes e seguros.

2. Tira sua motivação intrínseca

Crescer com um nível de exigência muito alto faz com que as crianças se concentrem mais nos resultados do que em aproveitar o aprendizado e cada pequena conquista. A longo prazo, esta atitude rouba-lhes a motivação intrínseca para descobrir o ambiente de forma independente e seguir os seus próprios sonhos, ao mesmo tempo que pode afetar a sua capacidade de aproveitar o momento presente e o caminho que conduz aos seus objetivos.

3. Incentiva o medo do fracasso

Esforçar-se demais para que as crianças sejam “perfeitas” não apenas coloca uma enorme pressão sobre elas, mas também pode incutir medo do fracasso. Isso porque, como não querem decepcionar os pais, passam a apostar no seguro e no que já dominam porque têm medo de errar. Como resultado, eles podem ficar presos em sua vida futura e serem incapazes de assumir o controle de seu próprio crescimento apenas para não terem que lidar com o fracasso.

4. Afeta sua auto-estima

Sujeitar as crianças a expectativas ou exigências muito elevadas pode ter um impacto negativo na sua autoestima. Isso porque os torna muito perfeccionistas que acreditam que o que fazem nunca é suficiente, então basta o menor erro ou crítica para que sua autoestima despenque. Com o tempo, acabam se tornando adultos inseguros que acreditam que não são bons o suficiente, por isso vivem sempre esperando a opinião dos outros.

5. Isso os impede de aproveitar a infância

Muitos dos pais que exigem demais dos filhos não sabem que com essa atitude estão tirando uma das experiências mais bonitas da vida: a infância. E é que expor as crianças a grandes pressões para incentivá-las a serem perfeitas não só lhes rouba o tempo de brincar e se divertir sob o peso das responsabilidades, mas também as impede de cometer erros, de dar asas à imaginação ou de passar tempo com outros pequenos a idade deles. .

O que os pais podem fazer para estimular o desenvolvimento de seus filhos sem pressioná-los demais?

A maioria dos pais quer o melhor para seus filhos, por isso se preocupam em educá-los e prepará-los para o futuro. É completamente compreensível. No entanto, deve-se ter em mente que, embora seja necessário preparar as crianças para o futuro, se queremos que elas se tornem adultos bem-sucedidos, também é necessário permitir que elas aproveitem cada etapa da vida sem exigir delas mais do que podem dar. No final das contas, fazer as crianças felizes é mais importante do que ter filhos perfeitos.

Obviamente, isso não significa que você não se preocupe com a educação e o crescimento dos filhos, mas sim que evite pressioná-los para forçá-los a serem perfeitos e que aprenda a adaptar as exigências de cada estágio de desenvolvimento. Aqui estão algumas recomendações que podem ajudá-lo no dia-a-dia.

1. Permita que as crianças aprendam em seu próprio ritmo

Cada criança tem seu próprio ritmo de desenvolvimento que lhe permite aprender de acordo com sua capacidade. Respeitar o ritmo de aprendizagem do seu filho, perguntando apenas o que ele é capaz de fazer, nem mais nem menos, é uma forma de estimulá-lo a crescer e se desenvolver como pessoa sem pressioná-lo demais. Como se adaptar ao ritmo de aprendizagem do seu filho? O ideal é começar com desafios de pouca complexidade que você consiga realizar com facilidade para também fortalecer sua confiança e ir aumentando gradativamente o nível de dificuldade conforme a criança for ganhando habilidades.

2. Incentive as crianças a errar

A infância é uma fase de aprendizado em que as crianças descobrem seu ambiente, mostram suas habilidades e sim, também cometem erros. Ao contrário do que muitos pais acreditam, esses erros não são negativos em si, mas uma oportunidade de aprender e fortalecer suas habilidades. Por isso, é importante incentivar os pequenos a cometer erros, pois isso significa que eles ousam experimentar, experimentar coisas novas e testar suas habilidades.

3. Dê a eles ferramentas para lidar com o fracasso

Mais cedo ou mais tarde, as crianças terão que enfrentar o fracasso, por isso é importante não apenas ensinar-lhes uma visão mais otimista do fracasso, mas também fornecer-lhes ferramentas para aprender a lidar com essa experiência. As crianças devem saber que falhar não implica apenas ter falhado, mas pode tornar-se uma oportunidade para aprender com os erros e crescer como pessoas, ao mesmo tempo que devem ter recursos emocionais e cognitivos para gerir a insegurança que o fracasso gera.

4. Comemore os resultados, mas também o esforço

Estamos habituados a festejar as vitórias dos mais pequenos em casa, desde o A numa disciplina até ao golo que marcaram no jogo da escola, mas raramente celebramos o esforço por detrás de cada vitória. No entanto, celebrar o esforço e o empenho é uma forma de ensinar as crianças a aproveitar a jornada e incentivá-las a estar plenamente presentes em cada etapa que as separa da meta.

5. Motive-os a perseguir seus sonhos

Dar às crianças a liberdade de perseguir seus sonhos e definir seus próprios objetivos é a melhor maneira de prepará-las para o futuro e alimentar a motivação dentro delas. Dessa forma, eles não apenas aprenderão a tomar suas próprias decisões, mas poderão tomar as rédeas de suas vidas para alcançar o que tanto almejam.

Jennifer Delgado / Etapa Infantil

RECOMENDAMOS






Ter saber é ter saúde.