As infecções bacterianas são a segunda principal causa de morte no mundo, depois das doenças cardíacas, mostra um grande estudo publicado na terça-feira, citando o staphylococcus aureus e o pneumococo entre as bactérias mais mortais.

Este estudo, publicado no The Lancet , selecionou cerca de 30 bactérias – as mais comumente implicadas em infecções – e avaliou quantas mortes foram associadas a elas.

Essas medições são feitas como parte da Carga Global de Doenças . Este vasto programa de pesquisa, financiado pela Fundação Bill Gates, é de escopo incomparável e inclui vários milhares de pesquisadores na maioria dos países.

Em última análise, as mortes associadas a essas bactérias são a segunda principal causa de morte em todo o mundo , depois da doença cardíaca coronária, que inclui ataques cardíacos, concluem os autores.

Com 7,7 milhões de mortes relacionadas a infecções bacterianas, uma em cada oito mortes pode ser atribuída a elas, embora esses números remontem a 2019, antes da pandemia de COVID-19.

Das cerca de trinta bactérias selecionadas, cinco sozinhas respondem por mais da metade das mortes: staphylococcus aureus, E. coli , pneumococo, Klebsiella pneumoniae e bacilo piocianina.

Staphylococcus aureus é a principal causa bacteriana de morte em 135 países , disse o estudo.

Nos mais jovens – com menos de 5 anos – no entanto, são as infecções pneumocócicas que se revelam as mais letais.

Para os pesquisadores, esses resultados ilustram como as infecções bacterianas são umapriorité urgentena saúde pública.

Eles pedem trabalho na prevenção de infecções, melhor uso de antibióticos para evitar fenômenos de resistência em particular e vacinação mais eficaz.

RadioCanadá

RECOMENDAMOS






Ter saber é ter saúde.