o Dr. Dan Barouch, virologista do Beth Israel Deaconess Medical Center, em Boston, e seus colegas iniciaram uma série de experimentos com macacos para ter uma visão mais ampla de como o coronavírus afeta os macacos – e se as vacinas podem combater os patógenos. O relatório deles foi publicado na Science.

O Dr. Barouch está trabalhando em parceria com a Johnson & Johnson, que está desenvolvendo uma vacina contra o coronavírus que usa um vírus especialmente modificado, chamado Ad26, que ele desenvolveu.

A nova pesquisa em macacos “estabelece as bases científicas” para esses esforços, disse Barouch.

Os cientistas começaram estudando se os macacos se tornam imunes ao vírus depois de ficarem doentes. A equipe infectou nove macacos rhesus não vacinados com o novo coronavírus.

Os macacos desenvolveram sintomas que se assemelhavam a um caso moderado de Covid-19, incluindo inflamação nos pulmões que levou a pneumonia. Os macacos se recuperaram após alguns dias e o Dr. Barouch e seus colegas descobriram que os animais começaram a produzir anticorpos contra o coronavírus.

Os macacos produziram uma onda de anticorpos neutralizantes protetores . O coronavírus conseguiu brevemente estabelecer uma pequena infecção no nariz do macaco, mas logo foi eliminada.

Esses resultados não significam necessariamente que os humanos também desenvolvem imunidade forte e duradoura ao coronavírus. Ainda assim, o Dr. Barouch e outros acharam a pesquisa encorajadora.

Com informações do G1

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Saber é Saúde
Ter saber é ter saúde.