Dezenas de milhares de amêijoas, mexilhões, estrelas do mar e caracóis foram encontrados fervendo até a morte em uma praia de Vancouver, Canadá, durante a onda de calor recorde do país.

Chris Harley, um biólogo marinho da Universidade de British Columbia, foi alertado sobre as mortes quando sentiu um fedor na praia de Kitsilano, em Vancouver, no domingo.

Ele disse à rede de notícias canadense CBC que ficou “surpreso” com a descoberta.

A Colúmbia Britânica atingiu temperaturas recordes três dias consecutivos no final de junho, atingindo 121,3 graus Fahrenheit (49,6 graus Celsius) em 29 de junho.

Não está claro quando o marisco morreu. Harley disse ao CBC que a maioria dos animais entre as marés só pode suportar temperaturas de até 86 Fahrenheit; imagens térmicas em 28 de junho mostraram que a temperatura na costa de Vancouver atingiu cerca de 122 graus.

A morte desses animais afetará temporariamente a qualidade da água na área, já que mexilhões e amêijoas filtram o mar, disse Harley, de acordo com a CBC.

Ao calcular quantos animais marinhos mortos foram encontrados em uma pequena área, Harley também estimou ao CBC que mais de um bilhão de animais marinhos que vivem ao longo da costa do Mar Salish podem ter morrido.

Esta não é a primeira vez que uma onda de calor mata moluscos. Uma onda de calor de 2019 causou a maior mortandade de mexilhões em Bodega Head , uma baía na costa da Califórnia.

As temperaturas no Canadá têm sido tão intensas que incêndios florestais estão produzindo pirocumulonimbus, nuvens que podem gerar tornados e relâmpagos que podem causar mais incêndios florestais, relatou Aylin Woodward do Insider .

Este artigo foi publicado originalmente pelo Business Insider

RECOMENDAMOS






Ter saber é ter saúde.