Por volta dos 5 anos, a maioria das crianças começa a perder os dentes de leite , que dão lugar aos permanentes. Esta é uma transição muito importante no crescimento das crianças, pois elas passam de 20 dentes de leite para 32 dentes permanentes. É claro que os dentes permanentes são diferentes: são mais fortes que os dentes de leite, pois possuem raízes maiores e uma camada de esmalte mais espessa, o que não é apenas benéfico para a mastigação, mas também para a saúde bucal do pequeno.

Além disso, do ponto de vista emocional, essa troca de dentes é um momento muito especial, tanto para as crianças quanto para seus pais, pois marca o início de uma nova etapa de desenvolvimento. Isso explica por que muitos pais guardam os dentes de leite de seus filhos como lembrança da primeira infância. No entanto, muitos desses pais não sabem que manter os dentes de leite de seus filhos não é apenas uma forma de preservar uma memória, mas também as células-tronco da criança.

Dentes de leite: um depósito de saúde

A polpa dentária, o tecido mole encontrado dentro dos dentes de leite, contém uma abundância de células-tronco. Na verdade, basta um dente de leite para obter trilhões de células-tronco, pois elas têm uma grande capacidade de multiplicação.

As células-tronco são vitais para a saúde, pois sua principal função é formar o restante das células do corpo. Por isso, têm um papel preponderante durante a formação e desenvolvimento do bebé, mas também à medida que as crianças crescem, uma vez que são responsáveis ​​pela reparação dos tecidos danificados e pela substituição das células que morrem naturalmente ou em consequência de uma lesão ou doença. É um mecanismo de auto-reparação que o corpo ativa para se manter saudável e prevenir o envelhecimento prematuro das células.

No entanto, as células-tronco têm uma capacidade limitada de reparar lesões no corpo, de modo que, após uma certa idade, não são capazes de restaurar todas as células afetadas. Nesses casos, ter um reservatório de células-tronco capazes de se multiplicar e começar a curar as áreas afetadas pode ser muito eficaz na redução do dano celular e na prevenção de inúmeras doenças degenerativas.

Existe algum procedimento especial para preservar os dentes de leite sem danificar seu conteúdo?

O procedimento para extrair os dentes de leite da criança sem danificar seu conteúdo é muito fácil e também indolor. Idealmente, quando o dente está prestes a cair, os pais vão ao dentista para a extração e enviam o dente para um laboratório especializado para remover a polpa dentária. No entanto, se o dente cair naturalmente, também é possível obter suas células-tronco desde que os pais tenham um kit de polpa dentária, no qual o dente deve ser colocado até ser enviado ao laboratório.

A extração da polpa dentária deve ser realizada nas primeiras 48 horas após a extração do dente de leite. Uma vez que a polpa é removida, as células-tronco são isoladas, sua viabilidade é confirmada e, em seguida, são preservadas para uso futuro a uma temperatura de -80°C. Para preservá-los, um sistema automatizado é usado para congelar as células lentamente para evitar a formação de cristais de gelo que podem danificar sua estrutura. Finalmente, as células são armazenadas em tanques de nitrogênio em fase gasosa a -196°C, onde permanecerão até serem necessárias.

Jennifer Delgado – Etapa Infantil

RECOMENDAMOS






Ter saber é ter saúde.