Pesquisadores da Universidade McGill identificaram uma forma de sinalização química em camundongos para defender seus filhotes. Os pesquisadores descobriram que a proximidade com camundongos fêmeas grávidas e lactantes aumentava os hormônios do estresse nos machos e até diminuía sua sensibilidade à dor.

“As descobertas têm implicações importantes para melhorar a confiabilidade e a reprodutibilidade de experimentos envolvendo camundongos. Este é mais um exemplo de um fator anteriormente desconhecido no ambiente de laboratório que pode afetar os resultados de estudos científicos”, diz Jeffrey Mogil, professor do Departamento de Psicologia da Universidade McGill e EP Taylor Chair in Pain Studies.

De acordo com a coautora Sarah Rosen, “o que provavelmente está acontecendo é que camundongos fêmeas estão sinalizando aos machos que podem estar pensando em atacar seus bebês que eles os defenderão vigorosamente. É a ameaça de uma possível luta futura que causa o estresse.”

“Os ratos têm uma comunicação mais rica uns com os outros do que pensamos; é só que muito disso é através do cheiro”, diz Mogil.

Os pesquisadores começaram a procurar o químico olfativo responsável. Vários odorantes foram identificados, mas um, acetato de n-pentila, que é liberado na urina de camundongos fêmeas grávidas e lactantes, foi especialmente eficaz na produção de estresse em camundongos machos.

“Curiosamente, o acetato de n-pentila também é responsável pelo cheiro único das bananas. Depois de uma rápida ida ao supermercado para comprar um pouco de óleo de banana, pudemos confirmar que o cheiro do extrato de banana estressava os camundongos machos tanto quanto as fêmeas grávidas”, diz o coautor Lucas Lima.

A descoberta representa um avanço na ciência da sinalização social dos mamíferos. “Existem vários exemplos de sinalização olfativa de macho para fêmea em roedores, mas muito menos exemplos de sinalização de fêmea para macho, especialmente fora do domínio do comportamento sexual”, diz Mogil.

Via NeuroscienceNews

Pesquisa Original: “Olfactory exposure to late-pregnant and lactating mice causes stress-induced analgesia in male mice”

RECOMENDAMOS






Ter saber é ter saúde.