Em 2014, milhares de refugiados que fugiam da violência ligada ao grupo militante Boko Haram na Nigéria chegaram a Minawao, Camarões, uma região desértica gravemente afetada pelas mudanças climáticas. Desde 2014, quase 70.000 refugiados fizeram do espaço sua casa, derrubando as últimas árvores em pé para se sustentar.

No entanto, graças a um programa de reflorestamento lançado em 2018 pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e pela Federação Luterana Mundial (FLM) , o deserto outrora seco e estéril foi transformado pelos refugiados em uma floresta vivificante.

Os refugiados e as comunidades locais foram treinados para implementar a “tecnologia do casulo”, desenvolvida pela Land Life Company , durante o plantio. Essa tecnologia envolve enterrar um tanque de água em forma de rosquinha composto de caixas recicladas junto com a planta, fornecendo às raízes das mudas a água necessária, o que dá às mudas a melhor chance de sobrevivência no ambiente desértico extremo.

Planting a tree with thelp of the cocoon 1280x700 1 e1633991802309 - Refugiados em Camarões transformam acampamento no deserto em uma floresta exuberante
Land Life Company

Até agora, os voluntários do campo de refugiados plantaram 360.000 mudas e transformaram com sucesso 100 hectares de terra severamente degradada (o que soma a área de 250 campos de futebol) em florestas prósperas.

De acordo com a voluntária refugiada Lydia Youcoubou, “Minawao se tornou um lugar totalmente verde e há muitos benefícios nisso. Temos sombra do sol, o solo melhorou e as árvores atraem água.”

A sombra que as árvores mais maduras proporcionam também permite que alimentos e fitoterápicos sejam cultivados no campo de refugiados.

O ambicioso projeto de reflorestamento contribui para a iniciativa liderada por africanos chamada Grande Muralha Verde. O objetivo da Grande Muralha Verde é desenvolver uma barreira continental de 8.000 km para mitigar a desertificação do Sahel, território na fronteira do Saara e da savana sudanesa.

Via Ciclo Vivo

RECOMENDAMOS






Ter saber é ter saúde.