Ser positivo pode proteger contra doenças cardíacas? Sim! Há muitas evidências sugerindo que ter uma perspectiva positiva – como ser otimista, alegre, ter gratidão e propósito na vida – pode ser protetor do coração.

Pesquisadores no Reino Unido analisaram as características psicológicas de mais de 8.000 pessoas e descobriram que aqueles que obtiveram alta pontuação em otimismo e sensação de bem-estar tiveram um risco 30% menor de desenvolver doenças cardíacas. Outros estudos relatam resultados semelhantes: em um estudo com mais de 70.000 mulheres acompanhadas por mais de 10 anos, as que obtiveram maior pontuação em um questionário de otimismo tiveram um risco significativamente menor de morte por ataques cardíacos (38%) e derrames (39%).

Uma perspectiva positiva pode até beneficiar pessoas que já têm doenças cardiovasculares, o que é significativo, porque elas correm um risco muito alto de sofrer ataques cardíacos e derrames. No estudo de saúde e aposentadoria dos EUA, em participantes com doença cardíaca estável conhecida, traços psicológicos positivos foram associados a riscos significativamente menores de sofrer um ataque cardíaco, e esses traços incluíam otimismo (risco 38% menor), perspectiva positiva (32%), e ter um objetivo na vida (27%).

Em três estudos separados, envolvendo centenas de pacientes com doença grave que requerem cirurgia de revascularização do miocárdio ou stent, um nível mais alto de otimismo foi significativamente associado a um menor risco de hospitalizações pós-procedimento.

Como o pensamento afeta positivamente seu coração?

Muitos estudos mostram que pessoas propensas a emoções negativas têm maior risco de doença cardíaca. As emoções negativas estão associadas à liberação de hormônios do estresse e a uma resposta física ao estresse, resultando em uma freqüência cardíaca e pressão sanguínea mais altas. Os cientistas levantam a hipótese de que pessoas positivas que têm uma abordagem “meio cheia” da vida têm menos probabilidade de experimentar essa resposta ao estresse.

Basicamente, aqueles que tendem a procurar o lado positivo de situações negativas podem evitar os danos que o estresse inflige no sistema cardiovascular. Outra hipótese é que as pessoas com uma perspectiva positiva têm maior probabilidade de usar estratégias de enfrentamento saudáveis, como a solução de problemas, para superar obstáculos e gerenciar estressores, enquanto as pessoas com uma perspectiva negativa tendem a estratégias de enfrentamento não saudáveis, como automedicar alimentos e outras substâncias.

Manter um diário de gratidão pode ajudar

Os pesquisadores também estudaram a gratidão em pacientes com insuficiência cardíaca. Aqueles que mantinham um diário de gratidão, onde listavam três ou quatro coisas pelas quais eram gratos todos os dias por dois meses, apresentavam níveis mais baixos de hormônios inflamatórios e menor frequência cardíaca durante um exercício estressante. Isso sugere que o simples hábito diário de expressar gratidão pode ter grandes efeitos na saúde a longo prazo.

Você é uma pessoa otimista?

Algumas pessoas são naturalmente mais inclinadas a ter uma perspectiva positiva e procurar o forro de prata, enquanto outras tendem a ver as coisas sob uma luz mais negativa. Mas o otimismo é tanto uma habilidade quanto um traço de personalidade. Você pode treinar seu cérebro para reconhecer e combater o pensamento negativo – seu coração e sua saúde serão melhores para isso.


Fontes e referências:

Harvard Health Publishing – A positive mindset can help your heart
APA PsycNET – A prospective study of positive psychological well-being and coronary heart disease.
American Journal of Epidemiology – Optimism and Cause-Specific Mortality: A Prospective Cohort Study
Jornal do American College of Cardiology – Positive Psychological Well-Being and Cardiovascular Disease: JACC Health Promotion Series.
Journal of Behavioral Medicine – Purpose in life and reduced risk of myocardial infarction among older U.S. adults with coronary heart disease: a two-year follow-up

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Revista Saber é Saúde
Ter saber é ter saúde.